A história do Santos Futebol Clube

O Santos Futebol Clube, frequentemente referido simplesmente como Santos, é uma entidade esportiva brasileira fundada em 14 de abril de 1912, sediada na cidade de Santos. No começo, o clube adotou as cores branco, azul e dourado, mas, um ano após sua criação, optou pelo preto e branco como suas cores oficiais. O Estádio Urbano Caldeira, mais conhecido como Vila Belmiro, é o palco das partidas do clube. Os principais adversários do Santos no futebol incluem o Corinthians, com quem disputa o Clássico Alvinegro; o Palmeiras, no Clássico da Saudade; e o São Paulo, no confronto conhecido como San-São.

O Santos é reconhecido tanto no Brasil quanto internacionalmente como um dos clubes de futebol mais bem-sucedidos. Ganhou notoriedade mundial nos anos 1960, conquistando diversos títulos nacionais e internacionais e revelando Pelé, amplamente considerado um dos maiores jogadores de todos os tempos e reconhecido pela FIFA como o melhor jogador do século XX. Pelé é o maior artilheiro da história do Santos e o segundo maior artilheiro da Seleção Brasileira, sendo superado apenas por Neymar, outro talento descoberto pelo clube.

Ao longo de sua história, o Santos acumulou uma impressionante lista de títulos internacionais, incluindo os mundiais de 1962 e 1963, as Copas Libertadores de 1962, 1963 e 2011, a Recopa dos Campeões Intercontinentais de 1968, a Copa CONMEBOL de 1998 e a Recopa Sul-Americana de 2012. Nacionalmente, o clube é octacampeão brasileiro e tem em sua coleção uma Copa do Brasil, conquistada em 2010. Além disso, possui cinco Torneios Rio-São Paulo, 22 Campeonatos Paulistas e a Copa Paulista de 2004. Somando títulos nacionais e internacionais, o Santos possui 18 conquistas oficiais e, no total, contabiliza 305 títulos em diferentes competições.

O Santos foi eleito pela FIFA em 2000 como o quinto maior clube de futebol do século XX, sendo o melhor clube das Américas nessa classificação. No ano de seu centenário, recebeu na câmara dos deputados em Brasília o título de “maior clube sul-americano do Século XX” pela FIFA. Além disso, é o clube brasileiro com o maior número de confrontos internacionais e o único a conquistar títulos estadual, nacional, continental e mundial no mesmo ano, feito alcançado em 1962. Também detém o recorde de mais gols marcados na história do futebol mundial.

A fundação do Santos Futebol Clube ocorreu por iniciativa de três esportistas locais, que convocaram uma reunião no Clube Concórdia para criar um time de futebol. Após diversas sugestões, o nome Santos Foot-Ball Club foi escolhido por unanimidade. A primeira diretoria foi formada por Sizino Patusca como presidente, George Cox como vice-presidente, entre outros membros.

Inicialmente, o clube adotou as cores branco, azul e dourado, mas logo mudou para preto e branco. A primeira partida do time, um jogo-treino, ocorreu contra o Thereza Team, vencida pelo Santos. O primeiro jogo oficial foi uma vitória contra o Santos Athletic Club. O clube recebeu um convite para disputar o campeonato estadual em 1913, mas desistiu devido ao alto custo das viagens, conquistando seu primeiro título, o Campeonato Santista, no mesmo ano.

santos seculos

O Santos voltou a disputar o Campeonato Santista em 1915 e, em 1916, retornou ao Campeonato Paulista, marcado pela inauguração da Vila Belmiro. Nos anos seguintes, o clube teve como destaque a linha de ataque formada por Araken Patusca e Feitiço. O primeiro título paulista veio em 1935, e após um intervalo de 20 anos, o Santos conquistou novamente o título estadual em 1955.

Pelé chegou ao clube em 1956 e se tornou o maior ídolo da história do Santos, conquistando seu primeiro título oficial em 1958. Ao lado de grandes jogadores como Pepe e Coutinho, Pelé formou um dos ataques mais poderosos do futebol. A década de 1960 foi a mais vitoriosa do clube, com destaque para as conquistas da Copa Intercontinental e da Copa Libertadores da América, além de cinco Taças Brasil consecutivas.

Santos pelé

Após a saída de Pelé, o Santos formou a equipe conhecida como “Meninos da Vila” em 1978, conquistando o Campeonato Paulista. Nos anos seguintes, o clube teve participações destacadas em várias competições, incluindo a conquista do Campeonato Brasileiro em 2002 e 2004 e a Copa Conmebol em 1998.

A geração de Neymar e Ganso surgiu em 2009, levando o clube a conquistar o Campeonato Paulista e a Copa do Brasil em 2010. Em 2011, o Santos foi campeão da Libertadores após 48 anos, credenciando-se para disputar o Mundial de Clubes. Nos anos seguintes, o clube conquistou mais títulos estaduais e participou de finais importantes.

Após uma campanha irregular, o Santos foi rebaixado para a Série B pela primeira vez em sua história em 2023. A queda foi confirmada após uma derrota para o Fortaleza na Vila Belmiro.

Vila Belmiro

Santos vila belmiro

O Estádio da Vila Belmiro, local emblemático do futebol brasileiro, tem uma história rica que remonta à sua inauguração em 1916. Antes de estabelecer seu próprio estádio, o Santos Futebol Clube alternava suas partidas entre três campos distintos: Avenida Ana Costa, Avenida Conselheiro Nébias e o Campo dos Ingleses, enquanto os treinamentos ocorriam em um local separado no Bairro do Macuco. Em 1915, os dirigentes do clube iniciaram a busca por um terreno próprio na cidade, culminando na aquisição de uma área de 16.650 metros quadrados na Vila Belmiro em 31 de maio de 1916, uma decisão ratificada pelo presidente Agnello Cícero de Oliveira.

A construção do Estádio Urbano Caldeira, conhecido como Vila Belmiro, foi finalizada no mesmo ano. A inauguração oficial ocorreu em 12 de outubro de 1916, mas a primeira partida aconteceu dez dias depois, um jogo do Campeonato Paulista contra o Ypiranga, vencido pelo Santos por 2 a 1, com o primeiro gol do estádio marcado por Adolpho Millon Júnior.

O estádio teve sua primeira experiência com iluminação em 21 de março de 1931, em um amistoso noturno entre o Santos e uma seleção local, terminando em um empate de 1 a 1. Em 1933, após o falecimento de Urbano Caldeira, jogador, treinador e dirigente do clube, o estádio foi oficialmente nomeado em sua homenagem.

Um momento marcante na história da Vila Belmiro foi o recorde de público em um clássico contra o Corinthians em 20 de setembro de 1964, atraindo 32.986 espectadores. Porém, esse evento quase se tornou trágico quando uma das arquibancadas desabou, ferindo 181 pessoas.

Após o Campeonato Paulista de 1996, a diretoria decidiu reformar o gramado da Vila Belmiro, instalando um moderno sistema de drenagem e irrigação. A reinauguração ocorreu em 27 de março de 1997 com uma vitória do Santos sobre o Internacional. Além disso, foi construído um anel adicional de arquibancada, aumentando a capacidade em 4.000 lugares. Atualmente, a capacidade oficial do estádio é de 21.732 lugares, mas pode acomodar 16.068 pessoas.

Em 27 de janeiro de 1999, foi inaugurado um novo sistema de iluminação, elevando o estádio a um dos mais bem iluminados do Brasil. Durante a Copa do Mundo de 2014, a Vila Belmiro recebeu a seleção da Costa Rica para treinamentos e preparação, com a equipe alcançando as quartas de final do torneio.

Reformas foram realizadas entre 2015 e 2016, padronizando as medidas do campo. Há planos para um novo estádio, mais moderno, relegando a Vila Belmiro a receber apenas alguns jogos. Para celebrar o centenário do estádio, em 8 de outubro de 2016, foi organizado um amistoso contra o Benfica, onde Giovanni e Léo foram homenageados e participaram do jogo.

Memorial das Conquistas

Além do estádio, o Santos também possui o Memorial das Conquistas, inaugurado em 17 de novembro de 2003. O memorial exibe troféus e memorabilia, incluindo itens pessoais de Pelé e Neymar, além de equipamentos multimídia para a visualização de jogos históricos.

CT Rei Pelé

O clube também conta com centros de treinamento de alta qualidade, como o CT Rei Pelé, inaugurado em 1 de outubro de 2005, e o CT Meninos da Vila, destinado às categorias de base e inaugurado em 7 de agosto de 2006. O CT Rei Pelé foi palco de treinamentos para a seleção do México na Copa do Mundo de 2014.

A Chácara Nicolau Moran, antigo local de concentração do clube, e a valorização de mercado do Santos, que em 2017 foi avaliado como a nona marca mais valiosa do futebol brasileiro, são outros aspectos relevantes da rica história

Uniformes

Santos uniformes

As Origens e Transformações

Inicialmente, em 1912, o Santos adotava um uniforme branco com listras azuis e detalhes dourados. Porém, em 1913, por questões práticas, adotou um design mais simples com listras pretas e brancas e calções brancos, um esquema que se tornou icônico para o clube.

Em 1915, durante uma mudança temporária de nome para União Foot-Ball Club, o Santos usou um uniforme branco com um distintivo losangular, refletindo essa fase única em sua história. Já em 1925, o clube inovou com um uniforme predominantemente branco e uma faixa preta na cintura, um estilo que se destacava no Campeonato Paulista daquele ano.

Os anos 30 trouxeram mais experimentações, com a introdução temporária de um uniforme com tons avermelhados, algo incomum para o clube. No entanto, o Santos voltou às suas raízes em 1935 com um uniforme totalmente branco, exceto pelas meias com detalhes pretos.

Era de Ouro e Inovações 

A década de 60, marcada como a era de ouro do clube, viu o Santos vestir um uniforme totalmente branco com detalhes sutis em preto. Em 1963, houve uma breve mudança para um design com finas listras pretas, mas o clássico branco liso logo foi restaurado devido à preferência dos torcedores. Este período também viu a adição de estrelas acima do escudo para simbolizar conquistas mundiais.

Modernização e Patrocínios

A partir dos anos 70, as mudanças nos uniformes do Santos foram principalmente influenciadas pela introdução de patrocinadores e a necessidade de se adaptar às tendências modernas do futebol. Nos anos 80, os uniformes começaram a exibir marcas de patrocinadores, e nos anos 90, o clube experimentou calções com padrões quadriculados e estrelados.

Inovações Recentes

Em 2008, o Santos lançou um terceiro uniforme azul-marinho, uma homenagem às cores originais do clube. O centenário do clube, em 2012, foi marcado por um uniforme azul-turquesa, representando a herança da cidade de Santos. Em 2014, a Nike introduziu um uniforme amarelo como homenagem à Seleção Brasileira, e em 2018, a Umbro lançou um uniforme azul com detalhes em vermelho e branco.

Uniformes Atuais

Hoje, o Santos mantém a tradição com seu primeiro uniforme composto por uma camisa branca, calções e meias brancas, enquanto o segundo uniforme apresenta listras verticais em preto e branco. Além disso, o clube possui um terceiro uniforme azul, relembrando suas raízes e história.

Escudo

Santos Escudo

Evolução para o Escudo Atual

O design atual do escudo do Santos foi introduzido em 1925 e começou a ser usado nos uniformes em 1927. Este escudo, de estilo polaco ou russo, caracteriza-se por sua ponta arredondada e recortes simétricos, contendo onze listras em preto e branco que simbolizam os jogadores do time. As estrelas acima do escudo, adicionadas em 1968, representam os títulos mundiais conquistados em 1962 e 1963.

Variação do Escudo em 1942

Houve uma breve mudança em 1942, quando o Santos adotou um escudo com as letras “SFC” entrelaçadas em preto sobre um fundo branco. Essa versão, no entanto, foi utilizada apenas por dois anos, retornando ao design tradicional em 1944.

Homenagem a Pelé em 2022

Em uma significativa homenagem a Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, o Santos introduziu uma coroa sobre as estrelas do escudo em 27 de novembro de 2022. Esta adição, aprovada no novo estatuto do clube, representa um tributo permanente a Pelé e será utilizada em todas as categorias de futebol do clube, tanto masculinas quanto femininas.

Bandeira

Santos Bandeira

Primeiros Passos na Criação da Bandeira

Inspiradas pela ideia de que “o branco simboliza a paz e o preto a nobreza”, as primeiras bandeiras do Santos Futebol Clube foram concebidas, refletindo os valores e a identidade do clube. A decisão de adotar o branco e o preto como as cores oficiais do clube foi tomada em uma assembleia geral no dia 31 de março de 1913. Nessa reunião, a proposta de Paulo Peluccio, um dos sócios naquela época, foi aceita, estabelecendo assim as cores que viriam a ser um marco na história do Santos.

Design da Primeira Bandeira

A concepção da primeira bandeira do clube veio através de uma sugestão de Raymundo Marques, um dos fundadores do Santos. Essa bandeira possuía uma distintiva faixa preta diagonal, indo da esquerda para a direita, adornada com as iniciais do clube em letras brancas. Esse design não só incorporava as cores do clube, mas também transmitia um sentido de elegância e orgulho.

Desenvolvimento Posterior

Com o passar dos anos, a bandeira do Santos evoluiu, adotando o formato de uma flâmula triangular. Este design apresentava um fundo branco com duas faixas pretas – uma horizontal ao centro e outra vertical no primeiro terço da bandeira. O escudo do clube era posicionado na interseção dessas duas faixas, criando um ponto focal visualmente atraente. Embora outras bandeiras tenham sido introduzidas ao longo dos anos, todas mantiveram a consistência em termos de padrão e modelo, respeitando a herança visual do clube.

Mascote

Santos Mascote

O Santos Futebol Clube, ao longo de sua história, adotou diversos mascotes que refletem sua estreita relação com a cultura marítima. Embora a baleia seja o mascote oficial, conforme estabelecido pelo Estatuto Social de 2011, outras figuras marítimas também foram associadas ao clube.

Primeiros Símbolos e Representações

A jornada dos mascotes do Santos começou em 1921, quando o clube foi representado pela primeira vez por um peixe em uma charge do jornal “Ítalo Paulista, IL Pasquino Coloniale”. Nessa representação, o time santista foi simbolizado por um peixe observado por um representante do Palestra Itália. Na década de 1930, João Brito, conhecido como João do Charuto, começou a ilustrar o Peixe para representar o Santos nas páginas da “A Gazeta Esportiva”.

Diversidade de Propostas e Mudanças

Em 1943, João Brito propôs a figura de um marinheiro, chamado Garboso, como um novo símbolo para o clube na revista “A Gazeta Esportiva Ilustrada”. No ano seguinte, o símbolo ganhou popularidade com as charges de Nino Borges na “Gazeta Esportiva”. A baleia, que se tornou o mascote oficial, foi uma criação do cartunista Messias de Mello nos anos 50, buscando substituir o peixe por um animal marinho mais forte e imponente. Na cidade de Santos, o cartunista JC Lobo contribuiu para a popularização da baleia no jornal “A Tribuna”.

Outras Sugestões e Evoluções

Ao longo dos anos, outros símbolos foram sugeridos para representar o clube, como um pescador por Pace em 1955, um peixeiro por Otávio em 1962 e um golfinho por Ziraldo em 1989. Todos esses símbolos refletem a forte identificação do Santos com seu contexto litorâneo, mesmo que muitos deles não tenham se tornado oficiais.

Criação da Dupla Baleinha e Baleião

Em agosto de 2006, o Santos introduziu uma inovação com a criação da dupla Baleinha e Baleião. Esses personagens animam a torcida antes e durante os jogos, tornando-se uma parte vibrante da experiência dos torcedores nas partidas.

Torcida

Crescimento e Presença Nacional

A torcida do Santos Futebol Clube, reconhecida como uma das mais apaixonadas do Brasil, ocupa o sexto lugar em tamanho no cenário nacional, com 6,831,662 adeptos, o que representa 3,18% da população de torcedores brasileiros, segundo dados de 2022 da Pluri Consultoria. Esta pesquisa, com uma abordagem de “tempo real”, atualiza seus números diariamente.

Entre 2010 e 2012, um estudo da Stochos Sports destacou um aumento de aproximadamente 20% no número de torcedores do Santos. Interessantemente, na região do interior de São Paulo, a torcida do Santos ultrapassou a do Palmeiras, atingindo 14,2% contra 11%. Contudo, na capital paulista, o Palmeiras mantém a vantagem com 13,5% contra 7,4% do Santos.

Dominância na Baixada Santista

Especificamente na Baixada Santista, uma pesquisa da Enfoque Comunicação/Boqnews revelou que mais de um terço da população apoia o Santos. Entre 2010 e 2014, a torcida do clube cresceu de 30,8% para 36,4% na região, superando Corinthians, São Paulo e Palmeiras. Na própria cidade de Santos, uma pesquisa Enfoque/Boqnews de 2020 mostrou que o Santos FC detém 53,1% dos torcedores locais, seguido por Corinthians, Palmeiras e São Paulo.

Presença em Outros Estados

Além de São Paulo, o Santos possui uma base de torcedores significativa nos estados do Paraná e Mato Grosso do Sul. De acordo com uma análise do Globoesporte.com em parceria com o Facebook, o Santos é especialmente popular em diversas cidades paranaenses e sul-mato-grossenses, figurando frequentemente entre os três clubes mais apoiados nessas regiões.

Apogeu nos Anos 60 e Recordes de Público

Durante a década de 60, marcada pela presença lendária de Pelé, o Santos alcançou a segunda maior torcida do Brasil. Os jogos do clube atraíam multidões, com destaque para a final da Copa Intercontinental de 1963 no Maracanã, que reuniu 132.728 espectadores. Além disso, o Santos detém o recorde de maior média de público em uma edição do Campeonato Brasileiro, com 49.306 pagantes por jogo em 1983.

Programa de Sócios-Torcedores e Timemania

No que diz respeito ao programa de sócios-torcedores, o Santos comanda o Sócio Rei, que conta com aproximadamente 30.500 associados espalhados por todo o Brasil. Na Timemania, loteria brasileira, o Santos figura como o quarto clube mais apostado, com uma participação de 3,3%.

Clássicos Alvinegro, da Saudade e San-São

Clássico Alvinegro: Santos vs. Corinthians

Santos x corinthians

O Clássico Alvinegro, que coloca frente a frente Santos e Corinthians, é assim denominado devido às cores compartilhadas pelos dois clubes. Este duelo é um dos mais tradicionais do futebol brasileiro, tendo seu primeiro encontro registrado em 22 de junho de 1913, com uma vitória santista por 6 a 3. Em decisões importantes do Campeonato Paulista, as equipes se enfrentaram seis vezes, com o Santos triunfando em três ocasiões, incluindo a conquista do seu primeiro título paulista em 1935. No âmbito nacional, ambos se enfrentaram na final do Campeonato Brasileiro de 2002, vencida pelo Santos, e nas semifinais da Libertadores de 2012, onde o Corinthians levou a melhor.

Clássico da Saudade: Santos vs. Palmeiras

Clássico da Saudade Santos vs. Palmeiras

O Clássico da Saudade, que opõe Santos e Palmeiras, remonta a tempos gloriosos do futebol paulista, especialmente na década de 60, época de jogadores lendários como Ademir da Guia pelo Palmeiras e Pelé pelo Santos. A primeira partida entre os dois times ocorreu em 3 de agosto de 1915, com uma expressiva vitória do Santos. Um dos jogos mais memoráveis entre estas equipes aconteceu em 1958, no Pacaembu, onde o Santos venceu por 7 a 6 após um emocionante jogo. Em decisões de campeonatos, Santos e Palmeiras se enfrentaram cinco vezes, com destaque para vitórias palmeirenses em 1927 e 1959 e santista em 2015, além de confrontos na Copa do Brasil de 2015 e na Libertadores de 2020, vencidos pelo Palmeiras.

San-São: Santos vs. São Paulo

San-São Santos vs. São Paulo

O clássico entre Santos e São Paulo, conhecido como San-São, foi batizado em 1956 pelo jornalista Tomás Mazzoni. O primeiro confronto entre as equipes aconteceu em 1930, terminando empatado em 2 a 2. Em 1933, os dois times protagonizaram o primeiro jogo de futebol profissional do Brasil. Curiosamente, foi nesse clássico que surgiu o apelido “peixe” para o Santos, inicialmente como uma provocação da torcida do São Paulo, mas que foi abraçado com orgulho pelos santistas. Em finais de campeonato, Santos e São Paulo já se enfrentaram seis vezes, com o Santos levando a melhor em quatro ocasiões. A rivalidade entre os clubes também se destaca pela tradição de ter jogadores que se tornaram ídolos em ambos os lados, como Serginho Chulapa.

Futebol Feminino no Santos Futebol Clube

Santos feminino

Início e Primeiras Conquistas

As Sereias da Vila, como é conhecida a equipe de futebol feminino do Santos, iniciaram sua jornada em 1997. Para montar sua primeira equipe, o clube contou com a parceria da Marvel Consórcios, que já tinha um time de futebol de salão feminino. A busca por novos talentos incluiu peneiras organizadas pelo ex-jogador Manoel Maria, que também assumiu o papel de primeiro treinador da equipe. No Campeonato Paulista de 1997, o Santos reforçou seu time com três jogadoras experientes da Seleção Brasileira que participou das Olimpíadas de Atlanta: Elane, Fanta e Solange. Logo em seu ano de estreia, as Sereias da Vila alcançaram a final do campeonato, sagrando-se vice-campeãs após enfrentarem o São Paulo. O primeiro título veio em 2000, com a conquista dos Jogos Abertos do Interior.

Era de Ouro com Marta e Cristiane

Entre 2009 e 2012, o Santos se estabeleceu como a força dominante do futebol feminino no Brasil. Durante esse período, jogadoras notáveis como Marta e Cristiane vestiram a camisa santista, e o clube se tornou um pilar fundamental para a Seleção Brasileira de Futebol Feminino, chegando a ter onze jogadoras convocadas simultaneamente.

Recesso e Retorno Triunfal

Após um período de recesso iniciado em 2012, o futebol feminino do Santos foi reativado em fevereiro de 2015 pelo presidente Modesto Roma Júnior. Marcando o aniversário de 103 anos do clube, em 14 de abril de 2015, as Sereias da Vila retornaram aos gramados com um amistoso contra a Portuguesa na Vila Belmiro. O jogo culminou com uma vitória de 1 a 0 para o Santos, com um gol marcado pela atacante Tipa.

Conquista no Campeonato Brasileiro

Em 20 de julho de 2017, as Sereias da Vila celebraram uma conquista memorável, sagrando-se campeãs do Campeonato Brasileiro Feminino. Este título simbolizou não apenas uma vitória esportiva, mas também a resiliência e o compromisso do Santos em promover e desenvolver o futebol feminino.

Pelé no Santos Futebol Clube: Uma Era Lendária

Santos pelé

Pelé, amplamente considerado um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, teve uma carreira notável no Santos Futebol Clube. Sua jornada no clube não é apenas uma história de conquistas individuais, mas também um capítulo dourado na história do próprio Santos.

Início no Santos

Edson Arantes do Nascimento, conhecido mundialmente como Pelé, começou sua carreira no Santos em 1956, aos 15 anos. Sua estreia foi marcante, e rapidamente ele se estabeleceu como uma estrela em ascensão no futebol brasileiro.

Conquistas e Recordes

Durante sua passagem pelo Santos, Pelé conquistou inúmeros títulos, incluindo vários Campeonatos Paulistas, Taças Brasil (precursor do Campeonato Brasileiro), e duas Copas Libertadores. Além desses títulos nacionais e continentais, Pelé liderou o Santos nas conquistas dos títulos mundiais em 1962 e 1963, colocando o clube no cenário global do futebol.

Impacto no Futebol Mundial

A presença de Pelé no Santos não apenas elevou o status do clube, mas também transformou a maneira como o futebol era jogado e percebido internacionalmente. Seu estilo de jogo inovador, habilidade técnica excepcional e capacidade de marcar gols espetaculares fizeram dele um ícone esportivo.

Recordes Pessoais

Pelé estabeleceu vários recordes pessoais enquanto jogava pelo Santos, incluindo o impressionante feito de ser o maior artilheiro da história do clube. Seus gols não eram apenas numerosos, mas muitas vezes vinham em momentos cruciais, demonstrando sua capacidade de liderar e inspirar sua equipe em campo.

Legado no Santos

O legado de Pelé no Santos vai além dos troféus e recordes. Ele ajudou a moldar a identidade do clube e a cultura do futebol brasileiro. Sua influência estende-se por gerações, e ele continua sendo uma figura emblemática, não só para o Santos, mas para o futebol mundial.

Conclusão

A passagem de Pelé pelo Santos é uma das mais brilhantes páginas na história do futebol. Suas conquistas, talento inigualável e contribuição para o esporte permanecem como um padrão de excelência e fonte de inspiração para jogadores e fãs ao redor do mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui