Início » Blog » América-RN

América-RN

América – RN

Sumário

Fundação e Evolução do Mecão

Em 14 de julho de 1915, na cidade de Natal, Rio Grande do Norte, um grupo composto por jovens estudantes, trabalhadores do comércio e servidores públicos deu vida ao América Futebol Clube. Este clube, conhecido como América de Natal e apelidado de Mecão, se tornou a principal representação do estado em competições nacionais e regionais, marcando presença significativa na Série A, Série B e Copa do Brasil.

A escolha do nome América, inspirada no continente americano, segue a tradição de nomear clubes brasileiros com base em sua localização geográfica. O clube, fundado na residência do juiz Joaquim Homem de Siqueira, no bairro Cidade Alta, inicialmente adotou as cores azul e branco, mudando posteriormente para o vermelho e branco. Atualmente, a sede social do América se localiza no bairro do Tirol, com o centro de treinamento em Parnamirim, na Região Metropolitana de Natal.

Conquistas e Glórias

America RN cpoapa nordeste

O América orgulha-se de ter vencido a Copa do Nordeste em 1998, além da Taça Almir de Albuquerque Norte-Nordeste em 1973 e o Campeonato Brasileiro Série D em 2022. No cenário nacional, destacam-se também dois vice-campeonatos, na Série B em 1996 e na Série C em 2005. O clube foi o primeiro campeão estadual em 1919 e conquistou o título do Centenário em 2015, sendo também o único representante do Rio Grande do Norte em uma competição internacional, a extinta Copa Conmebol.

América no Esporte Brasileiro

No futsal, o América conquistou o vice-campeonato brasileiro e é tricampeão do Nordeste, além de possuir 38 títulos estaduais e metropolitanos. No basquete, alcançou o tricampeonato do Nordeste em 2013 e garantiu o 3º lugar no Campeonato Brasileiro, chegando às semifinais em 2014. No futebol americano, a equipe sagrou-se campeã do Nordeste em 2009 com uma campanha invicta e foi vice-campeã da Divisão Nordeste do Campeonato Brasileiro.

A Estreia Histórica do América

America RN

No dia 26 de setembro de 1915, o América de Natal enfrentou pela primeira vez o que viria a ser seu arquirrival, o ABC, marcando o início de uma das rivalidades mais acirradas do futebol brasileiro. O confronto aconteceu na Praça Pedro Velho, então conhecida como Vila Cincinati, num campo que não passava de uma adaptação provisória para o jogo. Naquela ocasião, o ABC levou a melhor sobre o América, vencendo por 4 a 1, com gols de Mousinho (2), Mandu e Babua, enquanto Neco descontava para o América.

Em 15 de setembro de 1918, durante o campeonato estadual que acabou não sendo concluído, o América conquistou sua primeira vitória oficial sobre o ABC, com um placar de 3 a 0, graças aos gols de Arnaldo, Pinheiro (contra) e Nilo Murtinho Braga.

Esforços para Profissionalizar o Futebol e Fundação da Federação

Início da Profissionalização no Rio Grande do Norte

Em 1916, o futebol no Rio Grande do Norte começou a dar seus primeiros passos rumo à profissionalização. Seis clubes da capital, incluindo América e ABC, se uniram para fundar a Liga Norteriograndense de Desportos Terrestres, sob a presidência de Luiz Potiguar Fernandes. No entanto, essa primeira tentativa não vingou.

Criação da Federação Norteriograndense de Futebol

Em uma reviravolta, no dia 14 de julho de 1918, data que marcou o terceiro aniversário do América RN, a Liga de Desportos Terrestres do Rio Grande do Norte foi estabelecida, sucedendo a tentativa anterior e se tornando a atual Federação Norteriograndense de Futebol (FNF). Luiz Soares de Araújo, um líder do movimento escoteiro local, foi eleito o primeiro presidente da Federação, que teve América, ABC e Centro Esportivo Natalense como seus clubes fundadores.

O Primeiro Campeonato Estadual e a Pandemia de Gripe Espanhola

O ano de 1918 também foi marcado pela realização do primeiro campeonato estadual da história do futebol potiguar, que, infelizmente, foi interrompido pela pandemia da gripe espanhola. Com a participação de apenas três clubes – América RN, ABC e Centro Esportivo Natalense – o torneio não chegou ao fim, e nenhuma equipe foi declarada campeã.

Os Primeiros Títulos Estaduais e o Reconhecimento

Conquistas Iniciais do América

O América conquistou seu primeiro campeonato estadual em 1919, iniciando uma série de vitórias que consolidariam sua posição como um dos principais clubes do estado. Em 1920, o clube alcançou seu primeiro bicampeonato de maneira invicta e, dois anos depois, celebrou a conquista do campeonato de 1922, intitulado “Taça da Independência”, em comemoração ao centenário da independência do Brasil.

Era Juvenal Lamartine e Expansão do Futebol Potiguar

A inauguração do Estádio Juvenal Lamartine, em 1928, marcou uma nova era para o futebol em Natal, elevando o nível da competição e acirrando a rivalidade entre os clubes locais. Este período também viu o América consolidar sua sequência de títulos estaduais, demonstrando sua força e contribuição significativa para o esporte na região.

Este artigo retrata os primeiros passos do América Futebol Clube, desde sua fundação até os primeiros títulos e a contribuição para a profissionalização do futebol no Rio Grande do Norte, evidenciando sua importância histórica e cultural no estado.

Retorno Vitorioso nos Anos 60

america anos 60

Conquista Estadual Após Licença

Depois de se afastar temporariamente das competições entre 1960 e 1965 para construir sua sede social, o América Futebol Clube comemorou um retorno espetacular ao cenário futebolístico em 1967. Com uma equipe composta majoritariamente por jogadores locais e sob a liderança do técnico Edésio Leitão, o clube sagrou-se campeão estadual. A vitória decisiva veio contra o Riachuelo, destacando-se o gol de Bagadão aos 38 minutos do segundo tempo, que garantiu o título. Esse triunfo também marcou a estreia do América na Taça Brasil de 1968, sua primeira participação em uma competição nacional.

Bicampeonato Estadual com Dramatismo

Em 1969, o América reafirmou sua supremacia no futebol potiguar ao conquistar o bicampeonato estadual de forma dramática. Após uma série desafiadora de partidas contra seu eterno rival, o clube precisava de uma vitória no último jogo para forçar um confronto decisivo. Graças a um gol de última hora do atacante Alemão, o América garantiu a vitória e, na partida final, derrotou o rival por 2 a 0, com gols de Bagadão e Alemão, consolidando sua posição de liderança no estado.

Ascensão e Glórias nos Anos 70

Machadão

A Era do Estádio Machadão

A década de 70 testemunhou a ascensão do América no cenário nacional, com participações notáveis em campeonatos brasileiros. O clube também celebrou a inauguração do Estádio Castelão em 1972, palco de memoráveis duelos. Em uma rodada dupla histórica, o América enfrentou o ABC, vencendo a partida preliminar, enquanto o confronto principal entre o Vasco da Gama e a Seleção Brasileira Olímpica terminou empatado.

Conquistas e Campanhas Notáveis

Em 1973, o América reforçou seu elenco com a contratação de figuras proeminentes como o ex-zagueiro Sebastião Leônidas e o ídolo Luís Carlos Scala. Essas adições levaram o clube a conquistar a Taça Almir de Albuquerque, reconhecendo o América como um dos melhores times do Norte e Nordeste naquele ano. Além disso, o clube alcançou uma vitória histórica contra o Vasco da Gama em São Januário, um feito inédito para uma equipe potiguar.

Recorde de Público e Vitórias Memoráveis

O América também estabeleceu o recorde de público no Clássico Rei em 1976, reunindo mais de 50.000 torcedores no Estádio Machadão. Essa década foi marcada por grandes esquadrões que orgulhosamente representaram o Rio Grande do Norte, culminando com o tetracampeonato estadual consecutivo entre 1979 e 1982. Durante esse período, o clube também manteve uma invencibilidade histórica contra o ABC, destacando-se como uma das equipes mais formidáveis do futebol potiguar.

Esses momentos gloriosos não apenas solidificaram o status do América Futebol Clube como uma potência regional, mas também deixaram um legado duradouro que continua a inspirar gerações de torcedores e jogadores.

Aquisição de Marinho Chagas e Vice-Campeonato

Marinho Chagas

Em 1985, o América fortaleceu sua equipe com a contratação do prestigiado lateral-esquerdo Marinho Chagas, reconhecido como o melhor lateral da Copa do Mundo de 1974. Apesar do reforço de peso, o clube acabou como vice-campeão estadual, sendo superado pelo Alecrim na decisão.

Tricampeonato Estadual e Domínio Alvirrubro

Após um intervalo de quatro anos sem conquistas estaduais, o América rompeu a sequência de vitórias do Alecrim em 1987 e embalou um tricampeonato (1987/1988/1989). O título de 1987 foi assegurado com uma vitória sobre o Baraúnas. Em 1988, sob a liderança de Ferdinando Teixeira, o América empatou com o ABC, garantindo o bicampeonato em um Machadão lotado. O triunfo tri foi alcançado em 1989, após um novo empate sem gols com o rival.

Reviravolta Estadual e Vice-Campeonato Nacional em 1996

1996 america de natal

Depois de três anos sem levantar o troféu estadual, o América enfrentou um 1996 desafiador. A equipe, formada majoritariamente por atletas da base, reforçou-se com Moura e Wanderley, virando o jogo no campeonato estadual e conquistando o segundo turno com uma vitória decisiva sobre o ABC. Essa vitória levou o América-RN a uma final geral contra o rival, onde se sagrou campeão estadual após vencer ambos os jogos decisivos.

A campanha positiva no estadual impulsionou o clube na Série B, onde teve um desempenho notável, culminando no vice-campeonato e garantindo a ascensão à Série A após treze anos.

Presença Marcante no Brasileirão de 1997 e 1998

No Campeonato Brasileiro de 1997, o América teve uma campanha de destaque, com resultados expressivos principalmente em casa. Apesar do rebaixamento em 1998, o clube teve momentos de brilho, como as vitórias contra o Cruzeiro e o Flamengo.

Conquista da Copa do Nordeste de 1998

A Copa do Nordeste de 1998 marcou o primeiro título nacional do América, após uma campanha impressionante que incluiu uma vitória histórica sobre o Vitória na final. Essa conquista não apenas reafirmou o domínio alvirrubro na região, mas também garantiu ao clube uma vaga na extinta Copa Conmebol, marcando sua estreia em competições internacionais.

Este período foi marcado pelo domínio e pela hegemonia do América no futebol potiguar e regional, consolidando sua reputação como uma das principais forças do Nordeste.

A Virada do Século e os Desafios

Entrando na década de 2000, o América enfrentou altos e baixos, incluindo um vice-campeonato estadual em 1999 e um rebaixamento para a Série C. Contudo, um episódio controverso envolvendo clubes da Série A beneficiou o América, que disputou o Módulo Amarelo da Copa João Havelange, correspondente à Série B.

Copa do Brasil 2000: A Chegada às Fases Finais

2000 america de natal

A Copa do Brasil de 2000 marcou uma campanha memorável para o América, que alcançou as fases finais pela primeira vez. Eliminações de equipes como Sport e Sampaio Corrêa destacaram a competência e a garra do time, apesar de uma eventual eliminação para o São Paulo nas oitavas de final.

Bicampeonato Potiguar: Retorno ao Topo

Em 2002 e 2003, o América reconquistou seu lugar de destaque no cenário estadual, sagrando-se bicampeão potiguar. Esses títulos refletiram a resiliência e a capacidade de superação do clube, após períodos de incerteza.

Desafios na Série B e o Caminho para a Recuperação

Apesar dos momentos de brilho, o América enfrentou dificuldades na Série B, culminando em um rebaixamento para a Série C. No entanto, o clube mostrou sua capacidade de recuperação, garantindo retornos rápidos e lutando por seu espaço no cenário nacional.

Campeão da Série D: Um Novo Começo

A conquista da Série D em 2022 simbolizou um renascimento para o América, destacando não apenas a qualidade do futebol apresentado, mas também a dedicação de todos os envolvidos com o clube. Esse título não só trouxe alegria para a torcida, mas também reafirmou o compromisso do América com a excelência no futebol.

O caminho do América-RN tem sido marcado por triunfos, desafios e uma busca constante pela excelência. A história do clube, repleta de momentos memoráveis e conquistas significativas, continua a inspirar uma legião de torcedores apaixonados, ansiosos pelo próximo capítulo dessa jornada gloriosa no futebol brasileiro.

Ascensão Rápida: De 2004 a 2006

2005 america de natal

De Volta à Série B: A Jornada de 2005

Em 2004, o América enfrentou o desgosto de ser rebaixado para a Série C, mas esse momento desafiador marcou o início de uma ascensão extraordinária no futebol brasileiro. Com dois acessos consecutivos, o clube, liderado pelo meia Leandro Sena e pelo atacante Paulinho Marília, e sob a orientação do técnico Luiz Carlos Martins, alcançou a Série B. A partida decisiva foi um empate sem gols contra o Ipatinga, assegurando o retorno à segunda divisão.

Rumo à Série A: O Triunfo de 2006

Continuando seu ímpeto vitorioso, em 2006, o América realizou uma campanha notável na Série B, impulsionado pelo ícone Souza, que retornou ao clube após passagens por grandes equipes do Brasil. Finalizando em quarto lugar, o clube garantiu sua vaga no Campeonato Brasileiro de 2007. O último jogo, um empate de 2 a 2 contra o Atlético Mineiro, foi marcado por um público recorde e transmitido nacionalmente, simbolizando o sucesso do clube.

Reconhecimento e Homenagens

Em 9 de dezembro de 2005, a prefeitura local instituiu o Dia do América Futebol Clube, homenageando a fundação do clube com uma data comemorativa em 14 de julho. Além disso, o clube foi reconhecido como de Utilidade Pública Municipal, reforçando seu papel significativo na comunidade.

Desafios e Superação: 2007 a 2010

2010 america de natal (1)

A Crise de Quatro Anos

O período entre 2007 e 2010 foi marcado por dificuldades, começando com a perda do título estadual para o ABC e uma eliminação precoce na Copa do Brasil pelo Fluminense. Em sua estreia na Série A contra o Vasco da Gama, apesar do apoio da torcida, o clube não conseguiu evitar a derrota. Contudo, um triunfo surpreendente contra o Santos mostrou a resiliência do time.

Lutando na Série B

Os anos subsequentes na Série B foram de lutas constantes contra o rebaixamento. Apesar de momentos de esperança e vitórias importantes, o clube enfrentou o desafio do descenso em 2010, marcando um período de instabilidade.

Retorno Triunfante: 2011 em Diante

Campeão Potiguar de 2012

Em 2012, o América quebrou o jejum de títulos, dominando o Campeonato Potiguar com vitórias decisivas e garantindo a classificação para as finais. O clube superou adversários e celebrou a conquista do campeonato, reafirmando sua força no futebol estadual.

Era Roberto Fernandes

Sob a liderança de Roberto Fernandes, o América viu um período de sucessos, incluindo a conquista do Campeonato Potiguar de 2012. A gestão de Fernandes foi marcada por uma campanha sólida na Série B e uma invencibilidade notável contra o rival ABC.

Nova Era: A Arena das Dunas e Além

Arena das dunas

Inauguração e Conquistas na Arena das Dunas

A inauguração da Arena das Dunas em 2014 trouxe um novo lar para o América. O estádio, atendendo aos padrões FIFA, foi palco de momentos memoráveis, incluindo uma jornada impressionante na Copa do Brasil e a conquista de títulos estaduais, reforçando o legado do clube.

Desafios Continuados e a Série D

Apesar dos desafios enfrentados na Série B e o eventual rebaixamento, o clube encontrou na Série D a chance de reescrever sua história, culminando na conquista do título em 2022. Este triunfo não apenas marcou o primeiro título nacional do clube, mas também solidificou sua posição como uma das principais forças do futebol no Rio Grande do Norte.

O América Futebol Clube, com sua rica história de altos e baixos, continua a ser um símbolo de perseverança e paixão no futebol brasileiro, mantendo-se firme diante dos desafios e celebrando cada conquista como um testemunho de sua grandeza.

Uniforme e Escudo

uniform America RN

O América Futebol Clube é reconhecido por seu uniforme e escudo característico, composto por uma camisa de cor vermelha vibrante, complementada por calções brancos e meiões igualmente vermelhos, uma combinação que reflete a paixão e a energia que definem o clube.

Em contrapartida, o segundo conjunto de vestimenta inverte essa paleta de cores, apresentando camisas e meiões na cor branca pura, com calções mantendo a intensidade do vermelho. De maneira esporádica, o time pode optar por variações nos uniformes, escolhendo entre um visual inteiramente vermelho ou completamente branco, adicionando uma dimensão extra à sua identidade visual em campo.

Futebol Feminino

feminino america de natal

O América Futebol Clube expandiu suas fronteiras no universo do futebol ao estabelecer, em 2012, seu departamento dedicado ao futebol feminino. Nesse mesmo ano, a equipe feminina do clube conquistou o campeonato estadual, garantindo sua vaga na Copa do Brasil da temporada.

A jogadora Formiga, conhecida por sua trajetória vitoriosa no futebol, foi o grande destaque do time nesse ano, contribuindo significativamente para o sucesso da equipe. Na competição nacional, o América superou o Botafogo-PB na fase inicial, mas foi superado pelo Vitória-PE na etapa seguinte. Contudo, a continuidade do projeto foi comprometida pela falta de recursos financeiros adequados.

Em uma reviravolta positiva para o futebol feminino do clube, o América- RN reativou sua equipe feminina no ano de 2020, graças a uma parceria estabelecida pelo presidente da época, Ricardo Valério, com um grupo que representava o Cruzeiro de Macaíba. Essa reestruturação rendeu frutos rapidamente, resultando em mais um título estadual para o clube nesse mesmo ano.

Além do êxito em competições estaduais, onde o América-RN  se consagrou bicampeão (2012 e 2020), a equipe feminina também marcou presença em competições de âmbito nacional, como a Copa do Brasil em 2012 e o Campeonato Brasileiro Série A2 em 2021, demonstrando o potencial e a determinação das jogadoras em elevar o nome do clube nas competições femininas de futebol.

Mascote

Mascote america de natal

O mascote do América-RN é um dragão, simbolizando força, coragem e poder. Essa figura mitológica foi escolhida para representar o clube tanto pelos atributos que ela carrega quanto pela sua capacidade de inflamar os ânimos e inspirar tanto os jogadores quanto os torcedores. O dragão do América é frequentemente apresentado em vermelho e branco, as cores oficiais do clube, e tem um papel significativo na identidade e na cultura do time, sendo uma presença marcante em jogos, eventos e materiais promocionais relacionados ao clube.

Deixe um comentário