Dorival Júnior

Nascido em Araraquara no dia 25 de abril de 1962, Dorival Silvestre Júnior é um renomado treinador de futebol e ex-jogador brasileiro, que jogava na posição de volante. Atualmente, ele é o técnico da Seleção Brasileira.

Trajetória como jogador

Conhecido no mundo do futebol como Júnior durante sua carreira de jogador, Dorival iniciou sua jornada no futebol nas categorias de base do Atlas, em sua cidade natal, Araraquara, e depois passou dois anos nas categorias de base do Marília.

Em 1978, ele se juntou à equipe juvenil da Ferroviária, marcando o início de sua carreira profissional em 1982. Após isso, teve uma breve passagem pelo Marília, antes de ganhar destaque e ser transferido para o Guarani em 1984. Foi em Santa Catarina que ele começou a construir sua história no futebol, jogando primeiro pelo Avaí e depois pelo Joinville.

Em 1988, Dorival voltou ao interior de São Paulo, desta vez para defender o São José-SP. No mesmo ano, mudou-se para o Coritiba.

Em 1989, o Palmeiras o contratou por 120 mil cruzados, e Dorival se destacou no clube, onde jogou por mais de 100 partidas e ficou até 1992. No início de 1993, foi vendido ao Grêmio, onde se tornou um dos líderes do time dirigido por Felipão, que conquistou o Campeonato Gaúcho. No ano seguinte, continuou sua carreira no Rio Grande do Sul, mas representando o Juventude.

Dorival encerrou sua carreira de jogador no Botafogo-SP, onde atuou de 1998 a 1999 e chegou a ser capitão do time.

Carreira de Dorival Júnior como Treinador

Começo na Ferroviária

 

Em 2002, Dorival Júnior enfrentou um grande desafio ao assumir a Ferroviária, que lutava na Série A3 do Campeonato Paulista. Com um início difícil e sob intensa pressão política, o clube buscava avidamente evitar o rebaixamento. Sob a direção de Dorival, a equipe começou a mostrar sinais de recuperação, apesar de alguns revezes, incluindo uma derrota por 3–2 para o Palmeiras B. A virada emocionante por 4–3 contra o Taquaritinga, após estar perdendo por 3–0, foi um dos pontos altos de sua curta passagem pela Ferroviária, onde acumulou duas vitórias, dois empates e quatro derrotas.

Figueirense

Após sua experiência na Ferroviária, Dorival retornou ao Figueirense, primeiro como gerente de futebol e, posteriormente, assumindo o papel de técnico em 2003. Sob sua liderança, o clube conquistou o campeonato estadual em 2004.

Fortaleza, Criciúma e Juventude

Em 2005, Dorival assumiu o comando do Fortaleza, mas foi demitido no final do Campeonato Cearense. No mesmo ano, treinou o Criciúma e o Juventude, ambos ex-clubes de sua carreira como jogador.

Sport, Avaí e São Caetano

Em 2006, conquistou o Campeonato Pernambucano com o Sport e, no mesmo ano, comandou o Avaí e o São Caetano. No São Caetano, apesar de um desempenho que levou ao rebaixamento no Brasileirão, Dorival continuou no clube e alcançou resultados expressivos no ano seguinte, incluindo a chegada à final do Campeonato Paulista.

Cruzeiro

No Cruzeiro, Dorival lidou com um início turbulento, mas levou o time a ser um dos favoritos no Campeonato Brasileiro. Contudo, uma queda de rendimento na reta final do torneio culminou na não renovação de seu contrato.

Coritiba

Em 2008, Dorival Júnior assumiu o comando técnico do Coritiba.

Vasco da Gama

No final de 2008, iniciou sua jornada no Vasco da Gama, onde conquistou o título da Série B em 2009.

Santos

Em 2010, sob a presidência de Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, Dorival foi contratado

pelo Santos, levando o clube a vitórias no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil. Contudo, uma desavença com Neymar resultou em sua demissão, seguindo-se um breve período no Atlético Mineiro, onde ajudou o clube a escapar do rebaixamento.

Internacional

Em 2011, assumiu o comando do Internacional, conquistando a Recopa Sul-Americana e o Campeonato Gaúcho, mas foi demitido após críticas da torcida.

Flamengo

Em 2012, Dorival chegou ao Flamengo, mas sua passagem foi curta, sendo demitido em 2013 devido a desacordos financeiros.

Retorno ao Vasco e Fluminense

Retornou ao Vasco em 2013, mas foi demitido após uma série de maus resultados. Logo após, assumiu o Fluminense, conseguindo evitar o rebaixamento do clube no Campeonato Brasileiro.

Palmeiras

Em 2014, Dorival Júnior foi para o Palmeiras, onde manteve o clube na série A do Brasileirão, mas foi demitido no final da temporada.

Segunda Passagem pelo Santos

Em 2015, Dorival voltou ao Santos, levando o clube a uma recuperação notável, incluindo o vice-campeonato da Copa do Brasil e o título do Campeonato Paulista em 2016. Foi demitido em 2017 após uma derrota para o Corinthians.

São Paulo

Em 2017, assumiu o São Paulo, mas foi demitido no ano seguinte após uma derrota para o Palmeiras.

Terceira Passagem pelo Flamengo e Athletico Paranaense

Retornou ao Flamengo em 2018 para um breve período e, em 2019, assumiu o Athletico Paranaense, conquistando o Campeonato Paranaense, mas foi demitido após uma série de derrotas no Brasileirão.

Ceará

Em 2022, Dorival foi contratado pelo Ceará, onde teve uma campanha notável na Copa Sul-Americana.

Terceira Passagem pelo Flamengo e Retorno ao São Paulo

Retornou ao Flamengo em 2022, conquistando a Copa do Brasil e a Copa Libertadores, mas saiu do clube após cinco meses. Em 2023, voltou ao São Paulo, onde atualmente demonstra excelentes resultados, marcando sua carreira como uma das mais dinâmicas e cheias de reviravoltas no futebol brasileiro.

Dorival Júnior e a Nova Era na Seleção Brasileira

Em uma decisão histórica, Dorival Júnior foi nomeado o treinador da Seleção Brasileira de Futebol no dia 10 de janeiro de 2024, assumindo uma das posições mais prestigiadas e desafiadoras do futebol mundial. Aos 61 anos, Dorival traz consigo uma vasta experiência adquirida ao longo de sua jornada como técnico em diversos clubes brasileiros, marcando uma nova era para o futebol nacional.

A Equipe de Dorival

Dorival não estará sozinho nesta empreitada. Ele contará com a colaboração de Lucas Silvestre, seu filho e auxiliar técnico, e Pedro Sotero, outro auxiliar de confiança, juntamente com o experiente preparador físico Celso Rezende. Essa equipe promete trazer uma combinação de inovação tática e preparo físico intenso, características marcantes nas equipes anteriormente comandadas por Dorival.

Primeiro Desafio: Amistoso Contra a Inglaterra

O primeiro grande teste de Dorival à frente da seleção será um amistoso contra a renomada Seleção Inglesa, marcado para o dia 23 de março. Este confronto será mais do que um simples jogo; será uma oportunidade para Dorival implementar sua visão e estratégia, mostrando ao mundo o que esperar do Brasil sob sua liderança.

Expectativas e Estratégias

A expectativa é alta para que Dorival Júnior traga um futebol ofensivo e dinâmico, características presentes em suas passagens anteriores por clubes como Santos e Flamengo. Sua habilidade em mesclar jovens talentos com jogadores experientes pode ser um diferencial importante na construção de uma equipe coesa e competitiva.

O Caminho à Frente

Com a Copa do Mundo no horizonte, Dorival tem a tarefa de preparar a Seleção Brasileira para enfrentar os melhores times do mundo. O sucesso de sua gestão será medido não apenas pelos resultados em campo, mas também pela capacidade de revitalizar o estilo de jogo brasileiro, trazendo de volta a essência do futebol arte que sempre caracterizou o Brasil.

Episódios Controversos na Carreira de Dorival Júnior com Ganso e Neymar

Dorival Júnior se viu no centro de algumas situações polêmicas envolvendo os jogadores Paulo Henrique Ganso e Neymar:

  • Durante a final do Campeonato Paulista de 2010, em 2 de maio, Ganso desobedeceu a uma instrução de substituição dada por Dorival, optando por permanecer em campo até o término do jogo.
  • Em um confronto mais tenso, em 15 de setembro, Neymar desafiou abertamente Dorival ao recusar seguir a ordem do técnico para não executar uma cobrança de pênalti durante um jogo contra o Atlético Goianiense. A situação escalou após a partida, com Neymar demonstrando sua raiva no vestiário, chegando a jogar um copo de isotônico em um assistente de Dorival. Esse comportamento foi criticado por René Simões, técnico do Atlético Goianiense, e também pelo então técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes, que condenaram a postura de Neymar. Esse incidente acabou sendo um fator decisivo para a eventual demissão de Dorival.
  • Em outubro do mesmo ano, uma reportagem do jornal Lance! destacou que uma saída noturna de Neymar e outros jogadores do Santos, que incluía a presença de garotas de programa após um jogo em Porto Alegre, contribuiu para a deterioração da relação entre Dorival e o time. Dorival, ao tomar conhecimento do episódio através das câmeras de segurança do hotel, exigiu punição aos jogadores envolvidos, mas não foi apoiado pela diretoria do Santos.
  • Em 5 de janeiro de 2011, uma declaração bombástica do ex-volante do Santos, Roberto Brum, trouxe novas perspectivas sobre a demissão de Dorival. Segundo Brum, houve ameaças de não pagamento de salários aos jogadores caso Neymar fosse afastado para o jogo contra o Corinthians. Brum revelou que nem o presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro nem o diretor de futebol Pedro Luiz Nunes Conceição eram favoráveis à demissão de Dorival, mas que a decisão veio de uma autoridade superior em São Paulo. Ele enfatizou que Dorival precisava estabelecer sua autoridade e que a punição a Neymar era essencial para isso.

A Vida Pessoal de Dorival Júnior: Família, Legado e Parceria Profissional

Dorival Júnior e familia

Dorival Júnior, conhecido por sua destacada carreira como treinador de futebol, tem uma vida pessoal que reflete tanto a dedicação familiar quanto a paixão pelo esporte. Casado e pai de três filhos – dois meninos e uma menina – Dorival equilibra sua vida profissional intensa com um cenário familiar harmonioso e unido.

Legado Familiar no Futebol

Além de sua própria carreira no futebol, Dorival carrega um legado familiar significativo no esporte. Ele é sobrinho de Dudu, um ex-volante reverenciado e ídolo do Palmeiras nas décadas de 1960 e 1970. A influência de Dudu em sua carreira não pode ser subestimada, pois é evidente que o futebol corre nas veias da família.

Parceria Profissional com o Filho

Um aspecto notável da vida de Dorival é a sua parceria profissional com seu filho, Lucas Silvestre. Desde 2010, Lucas tem trabalhado como auxiliar técnico de seu pai, formando uma dupla que combina experiência e inovação. Esta colaboração não é apenas um reflexo da relação familiar estreita, mas também demonstra a confiança e o respeito profissional mútuos.

Lucas, seguindo os passos de seu pai, trouxe uma nova perspectiva e ideias contemporâneas para a equipe técnica, complementando o vasto conhecimento e a experiência de Dorival. Essa parceria familiar no campo profissional é um exemplo raro e inspirador de como as gerações podem trabalhar juntas para alcançar sucesso no mundo do esporte.

Equilíbrio entre o Profissional e o Pessoal

Dorival Júnior, ao longo de sua carreira, demonstrou uma habilidade notável para equilibrar as demandas de um trabalho altamente exigente com as responsabilidades e alegrias da vida familiar. Seu compromisso com a família, ao mesmo tempo em que alcança marcos significativos em sua carreira profissional, serve de inspiração para muitos que buscam sucesso tanto no campo profissional quanto no pessoal.

Dorival Júnior: Um Perfil Estatístico da Sua Carreira Como Treinador Até Janeiro de 2024

À medida que Dorival Júnior progrediu em sua carreira de treinador, ele deixou uma marca indelével no futebol brasileiro, como evidenciado por suas estatísticas atualizadas até 7 de janeiro de 2024. Aqui está uma análise detalhada de seu desempenho nos diversos clubes que comandou, bem como os títulos conquistados e prêmios recebidos.

Desempenho nos Clubes

  • Ferroviária: Em 8 jogos, Dorival teve um aproveitamento de 33.33%, com 2 vitórias, 2 empates e 4 derrotas.
  • Figueirense: Comandou 9 partidas, obtendo um rendimento idêntico ao da Ferroviária.
  • Fortaleza: Seu trabalho mais efetivo foi aqui, com 62.67% de aproveitamento em 25 jogos.
  • Criciúma e Juventude: Nestes clubes, teve um desempenho moderado, com percentuais de 47.62% e 50%, respectivamente.
  • Sport: Em 37 jogos, alcançou 60.36% de aproveitamento.
  • Avaí e São Caetano: Teve um rendimento mais desafiador, com 37.04% e 55.21%, respectivamente.
  • Cruzeiro, Coritiba e Vasco da Gama: Nestes clubes, manteve um desempenho consistente, com mais de 50% de aproveitamento.
  • Santos: Em 118 jogos, teve um excelente aproveitamento de 62.99%.
  • Atlético Mineiro, Internacional, Flamengo e Fluminense: Apresentou um rendimento variado, com destaque para o Internacional, onde alcançou 60.51%.
  • Palmeiras: Em 20 jogos, teve um aproveitamento de 38.33%.
  • São Paulo: Comandou 83 partidas, alcançando 53.82% de efetividade.
  • Athletico Paranaense e Ceará: Teve um bom desempenho nestes clubes, com 55.56%e 68.52% de aproveitamento, respectivamente.
  • Seleção Brasileira: Até a data, ainda não havia comandado jogos pela seleção.

Total Geral: Em 714 partidas, Dorival Júnior alcançou um aproveitamento geral de 55.51%, demonstrando sua competência e consistência ao longo dos anos.

Títulos Como Jogador e Treinador

Dorival Júnior (6)

Como jogador, Dorival Júnior conquistou títulos importantes, como o Campeonato Catarinense pelo Joinville e o Campeonato Gaúcho pelo Grêmio. Sua jornada como treinador também foi marcada por diversas conquistas significativas:

  • Figueirense: Campeão Catarinense em 2004.
  • Sport: Vencedor do Campeonato Pernambucano em 2006.
  • Coritiba: Campeão Paranaense em 2008.
  • Vasco da Gama: Campeonato Brasileiro – Série B em 2009.
  • Santos: Conquistou o Campeonato Paulista em 2010 e 2016, além da Copa do Brasil em 2010.
  • Internacional: Campeão da Recopa Sul-Americana em 2011 e do Campeonato Gaúcho em 2012.
  • Athletico Paranaense: Campeão Paranaense em 2020.
  • Flamengo: Venceu a Copa do Brasil e a Copa Libertadores da América em 2022.
  • São Paulo: Campeão da Copa do Brasil em 2023.

Prêmios Individuais e Honrarias

Dorival Júnior também foi reconhecido individualmente por suas habilidades de liderança e táticas inovadoras:

  • Melhor Treinador em diversos campeonatos estaduais e nacionais, incluindo o Troféu Telê Santana e o Troféu Mesa Redonda.
  • Foi eleito um dos 10 Melhores Treinadores do Mundo pela IFFHS em 2022.
  • Recebeu o Diploma de Honra ao Mérito da Câmara Municipal de Araraquara.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui